Pastor da Assembleia de Deus em João Pessoa é Preso por Suspeita de Vender iPhones Roubados

1

Na tarde desta terça-feira (20), a Polícia Civil de João Pessoa realizou a prisão de um pastor da Assembleia de Deus, identificado como Kleyfeson Lopes, sob a acusação de comercializar celulares iPhone, da marca Apple, que foram roubados. Após a detenção, o religioso foi encaminhado à Central de Polícia para prestar esclarecimentos.

De acordo com o delegado Braz Morroni, responsável pelas investigações, durante o interrogatório, o suspeito confessou estar envolvido no crime de receptação e venda de produtos provenientes de roubo.

Morroni acrescentou que os dispositivos eletrônicos eram obtidos em feiras de troca localizadas nas áreas de Oitizeiro e Bayeux. No momento da abordagem policial, realizada no bairro Jardim Planalto, Lopes foi encontrado na posse de três aparelhos celulares, incluindo um que havia sido reportado como roubado na cidade de Recife.

O delegado destacou o início de uma investigação recente com o objetivo de identificar os compradores dos celulares roubados, ressaltando um modus operandi onde os criminosos já possuem um destinatário para os produtos furtados. “Nós iniciamos recentemente uma investigação para chegar nos compradores de celulares roubados, onde o bandido rouba e já tem a pessoa que recebe. Na tarde de hoje, quando o suspeito foi abordado, ele estava com três aparelhos telefônicos, sendo um que tinha sido roubado em Recife”, disse o delegado.

Além disso, foi revelado que o suspeito já tinha sido detido em Pernambuco por práticas semelhantes anteriormente. O pastor será apresentado em audiência de custódia nesta quarta-feira (21), onde serão decididas as medidas cabíveis relacionadas ao caso.


Repercussão nas Redes Sociais sobre a Prisão do Pastor Kleyfeson Lopes Dividem Opiniões

A prisão do pastor Kleyfeson Lopes, sob suspeita de envolvimento na venda de iPhones roubados, tem gerado uma onda de discussões e comentários nas redes sociais. Enquanto alguns internautas expressam surpresa e indignação com o escândalo envolvendo mais uma liderança religiosa, outros questionam sua associação à Assembleia de Deus, levantando dúvidas sobre sua filiação à denominação.

Nas últimas horas, diversos usuários têm compartilhado suas opiniões sobre o caso, polarizando as reações. Entre aqueles que afirmam que o pastor não faz parte da Assembleia de Deus, há quem ressalte a importância de não generalizar a conduta de todos os líderes religiosos com base em casos isolados.

Por outro lado, muitos internautas estão focados no aspecto mais amplo do escândalo, destacando a triste constatação de mais um indivíduo em posição de influência envolvido em atividades ilegais. Alguns expressam desapontamento e preocupação com a frequência com que tais incidentes ocorrem, questionando a integridade e moralidade de certos líderes religiosos.

1 comentário
  1. […] anos após ataque em igreja evangélica. Ele esfaqueou um diácono, deixando-o gravemente ferido. O suspeito foi detido pela polícia local e agora enfrenta acusações de tentativa de […]

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.